Sao martinho - Relações com Investidores Mobile

Notícias


Fato Relevante

São Martinho revisa guidance de produção da safra 2016/2017

São Paulo, 9 de novembro de 2016 - São Martinho S.A. (BM&FBovespa: SMTO3; Reuters: SMTO3 SA e Bloomberg: SMTO3 BZ), um dos maiores produtores de açúcar e etanol do Brasil, em cumprimento ao disposto na Instrução CVM n° 358/02, informa aos seus acionistas e ao mercado em geral a revisão do guidance de moagem e produção da safra 16/17.

Segue abaixo a tabela de revisão do Guidance Operacional e demais informações relacionadas:

Impactos agrícolas:

O canavial do Grupo São Martinho foi afetado por três geadas de alta intensidade ao longo do mês de julho, em uma área de 39.237 hectares. A colheita da maior parte dos hectares atingidos, estava programada para o final da safra e foi antecipada para evitar a perda da matéria prima.

As geadas e a antecipação da colheita, alteraram o ciclo natural da cana de açúcar, reduzindo sua produtividade (TCH) e sua qualidade (ATR). A avaliação desses impactos foi apurada recentemente, após concluído o processamento de toda a cana atingida direta e indiretamente.
Para a próxima safra, assumindo que as chuvas de verão fiquem dentro da média histórica, retornaremos nossa moagem acima de 20 milhões de toneladas no grupo.

Impactos Financeiros:

Conforme detalhado no quadro acima, a revisão do Guidance altera o mix de produção, aumentando o açúcar em detrimento ao etanol hidratado, preservando os produtos de melhor margem.

A estratégia de mudança de mix , combinada com a melhora dos preços do açúcar e etanol , deverão compensar em grande parte a quebra de produção. Dessa maneira, acreditamos que nosso EBITDA Ajustado para safra 16/17 totalizará entre R$ 1,4 bi e R$ 1,5 bi e Geração de Caixa Operacional (EBITIDA Ajustado deduzido do Capex Manutenção) entre R$ 650 milhões e R$ 750 milhões.

Importante mencionar que as considerações futuras não são garantias de desempenho, envolvendo riscos, incertezas e premissas que podem ou não ocorrer. As condições da indústria e outros fatores operacionais e climáticos podem afetar os resultados futuros da empresa e podem conduzir a resultados que diferem, materialmente, daqueles expressos em tais considerações futuras.

Cordialmente,

Felipe Vicchiato
Diretor Financeiro e de Relações com Investidores

Para acessar o documento em PDF, clique aqui.